Notícias

Associada Melissa Cachoni Rodrigues participa do programa de rádio CBN Debate

Programa tratou sobre envelhecimento da população

21/07/2018 10:07


No dia 21 de julho, a associada Melissa Cachoni Rodrigues, promotora de Justiça do CAOP de Defesa dos Direitos do Idoso e da Pessoa com Deficiência do MPPR e Diretora dos Aposentados e Pensionistas da APMP, participou do programa de rádio CBN Debate, para tratar sobre o envelhecimento da população, os seus reflexos na sociedade e a longevidade de vida (¹). 

Em vista do aumento da população idosa, a promotora destacou, durante o programa da CBN, que é preciso se preparar para chegar à terceira idade e explicou como devem funcionar as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), anteriormente denominadas asilos.

Esses locais, segundo Melissa Cachoni, são, muitas vezes, precários aos moradores idosos, em diversos sentidos: “Muitas pessoas colocam seus familiares nessas instituições e acham que o problema está resolvido. Porém, é preciso avaliar se o local é adequado para a convivência do parente. Deve-se verificar se é inscrito no Conselho Municipal, se tem Estatuto, se tem laudo do Corpo de Bombeiros, se o responsável técnico tem ensino superior - o que é uma exigência da Lei. Além disso, é preciso notar a aparência do local. Se existe uma placa com boa visualização, tem fácil identificação, se a casa tem rampas, se tem barras nos banheiros, etc”.

A associada complementou, em sua participação na rádio CBN, que as pessoas idosas que moram nesses locais necessitam de visitas de parentes para manter a sua saúde mental.

Melissa mencionou o projeto do MPPR, MP Inclusivo - ILPIs Fiscalizadas, onde os promotores do estado, que atuam nessa área, farão visitas às instituições que abrigam os idosos. “Uma proposta para que os espaços sejam autônomos, promovam a independência e a dignidade do ser humano nessa fase da vida”, explicou Melissa. Confira aqui mais sobre o projeto.

Ainda, a associada contou sobre a sua atuação na APMP, como Diretoria de Aposentados e Pensionistas, com o trabalho de preparação para a terceira idade, assim como para a aposentadoria. “Lembrando que a responsabilidade da qualidade de vida do idoso não é só da família, do estado e da sociedade, mas é também do próprio idoso, muito antes dele ser idoso. Pois nós vamos colher os frutos das nossas ações, como pais, filhos, irmãos, etc. Então, sempre recomendo que as pessoas se preparem física, emocional e financeiramente para essa fase”, afirmou.

Melissa conclui enfatizando que a melhor escolha é permitir aos idosos uma convivência digna com a sociedade: “Vamos institucionalizar o menos possível, deixar para fazer isso somente se for necessário. Há outras opções para os idosos. Como os cuidadores, grupos de convivência, núcleos de atividade, ou seja, lugares em que os idosos podem conviver na sociedade de forma mais autônoma e mais independente. O ideal é se concentrar nessas alternativas, que são muito mais ricas, uma oportunidade de conviver com os conselhos e as experiências dos idosos”.

Para ouvir o programa na íntegra, clique aqui.

Veja aqui o Estatuto do Idoso.

 

 

 

Foto: MPPR

Com informações: IPARDES; IBGE e CBN.

Nota de Rodapé

¹ De acordo com as Projeções Populacionais (2017-2014) do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Acadêmico e Social (Ipardes), e o Censo Demográfico (2010) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população total do estado do Paraná deve chegar a 11,5 milhões de habitantes no ano de 2020 e ultrapassar 12 milhões em 2030.

Segundo a pesquisa, constatou-se uma tendência de redução dos grupos mais jovens (até 19 anos) e um aumento das pessoas com idades mais avançadas (a partir dos 40 anos). Portanto, o período analisado passa por um rápido processo de envelhecimento populacional, principalmente entre as mulheres. Com isso, a proporção de idosos no Paraná saltará de 7,6% (2010) para 19,9% em 2040.

Já entre o grupo etário dos idosos (65 anos e mais), ocorrerá, no período 2010-2040, um aumento de 1,6 milhões de pessoas, com maior participação das pessoas com 80 anos ou mais. E no ano de 2040, para cada grupo de 100 idosos, 27 terão mais de 80 anos.


Leia Também