Mulher destaque

Mulher Destaque de Outubro/2019

Juliana Vanessa Stofela da Costa é a associada homenageada

30/10/2019 14:10


Neste mês, a promotora de Justiça da Comarca de Cascavel, Juliana Vanessa Stofela da Costa, coordenadora do Núcleo do Gaeco de Cascavel, é a Mulher Destaque.

A associada é natural de Rio do Sul, em Santa Catarina, mas cresceu na cidade de Cascavel, no Paraná. Iniciou a Faculdade de Direito no ano de 1996, em Cascavel. Na época, com 17 anos de idade, tinha paixão pela leitura, pela escrita e pelas questões atinentes à Justiça, mas ainda não sabia que carreira seguir.

Em 1997, surgiu a possibilidade de trabalhar no Cartório da Vara da Família, no Fórum de Cascavel.  Juliana comentou sobre essa oportunidade: “Foi um momento muito feliz porque eu comecei a aprender na prática o que até então nunca tinha visto pessoalmente. Foi uma oportunidade que abracei, me dediquei e até hoje guardo só lembranças boas”.

Na ocasião, a associada conheceu dois juízes que a inspiraram e mostraram que ela estava no caminho correto. “No Cartório conheci dois Juízes que me inspiraram, Dr. Sérgio Luiz Kreuz (que veio a ser um dos meus Professores de Direito Civil na graduação) e o Dr. Rosaldo Elias Pacagnan. Ambos sempre foram dedicados e muito trabalhadores e neles percebi que eu estava no curso certo e que o que eu queria pra minha vida era trabalhar nesse ambiente forense e seguir carreira pública”, afirmou.

Em 1998, mais uma oportunidade surgiu e Juliana passou a integrar o quadro de estagiários do Ministério Público do Estado do Paraná (MPPR), também em Cascavel. Na época, não havia testes seletivos para estagiários e foi convidada pelo Dr. João Carlos Madureira para ser estagiária da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Cascavel (Promotoria esta de qual hoje é titular). “Aprendi muito, sentia que ali havia uma segunda família e assim continuei até o final da Faculdade”, reconheceu.

Em 2001, a promotora se deslocou para Curitiba para se preparar às provas de concursos. “Foram vários cursos, pós-graduação, idas e vindas à Biblioteca Pública (quantas memórias)”, contou Juliana.  No ano seguinte (2002), foi aprovada no concurso para o cargo de Assessor do MPPR, mas não foi chamada para os primeiros cargos em razão da sua colocação.

A associada fez o concurso para ingresso na carreira como Promotora de Justiça no MPPR, em 2002 e em 2004. Neste último, foi aprovada.  Curiosamente, na mesma semana que sabia que o resultado do concurso de 2004 sairia, foi chamada para ocupar o cargo de Assessora do MPPR.

Juliana contou como foram os estudos e o sentimento ao ser aprovada: “Foram três anos de muito estudo, muita dedicação e esperança. O concurso de 2004 não foi fácil, prova objetiva, cinco dias de provas subjetivas, prova de tribuna e prova oral. Não cabia de felicidade ao receber o resultado de minha aprovação, juntamente de outros brilhantes colegas, nomes de destaque de nossa instituição”. Continuou “O Ministério Público sempre foi minha casa! Como estagiária, quase assessora e como membro!”.

Tomou posse em 02 de agosto de 2004 e, no decorrer da carreira, atou em diversas Comarcas. Logo no início, na substituição nas seções judiciárias de Laranjeiras do Sul e Toledo, e, ainda, nas Comarcas de Pitanga e Dois Vizinhos. No final de 2006, foi promovida para a entrância inicial de Ortigueira, onde ficou por nove meses. Ali também substituiu nas Comarcas de Tibagi, Telêmaco Borba e Reserva (a associada comentou que naquele período não havia promotores Substitutos suficientes para atender a demanda durante as férias de todos os titulares). Na sequência, foi removida para a Comarca de Guaraniaçu (onde ficou um ano e meio) e, em 2009, para a Comarca de Pinhão, também inicial, onde atuou por mais dois anos.

Em 2011, foi promovida para a Comarca de entrância intermediária de Medianeira e, em 2013, para a entrância final, Cascavel.

A associada declarou que nessas cidades foram vários momentos marcantes: o primeiro Júri (em Laranjeiras do Sul); o fechamento de um hospital em Ortigueira, em parceria com a Vigilância Sanitária, o qual foi reformado e reaberto para melhor atendimento da população; a primeira eleição municipal (em Guaraniaçu); um trabalho em conjunto com a Assistência Social de Pinhão e que culminou com várias adoções tardias. Neste último, Juliana afirmou que ficou muito realizada ao ver a alegria das crianças.

A promotora de Justiça comentou que quando assumiu em Cascavel enfim havia voltado para a cidade onde cresceu. Também comentou sobre os desafios que surgiram: “Quando cheguei em Cascavel o colega Sérgio Ricardo Cezaro Machado, que então estava no GAECO, me chamou para dividirmos o prédio onde funcionaria o GAECO e para que passássemos a atuar em conjunto, ele na Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público e eu na Coordenação do Núcleo do GAECO. Foi uma decisão difícil porque o desafio era muito grande, sobretudo porque o trabalho era diferente do que até então eu estava acostuma a desenvolver”.

A luta contra a corrupção sempre foi o ideal de Juliana, motivo pelo qual aceitou o convite e, hoje, já são mais de 06 anos na Coordenação deste Núcleo. “Posso dizer que é minha segunda família. O grupo é unido, dedicado, à disposição a qualquer dia e a qualquer horário”, declarou.

Entre as investigações desenvolvidas, que foram muitas, a associada destaca a Operação Panaceia - que investigou uma organização criminosa que desviava recursos públicos da saúde em diversas cidades do oeste do Estado, sendo, inclusive, matéria do quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui” no Fantástico em 2015 (¹); a Operação Água Benta - que investigou uma organização criminosa que desviava cargas e que, com o braço na Polícia Civil, fabricava boletins de ocorrências com informações de falsos roubos; a Operação Cleptocracia - que investigou uma organização criminosa que praticava crimes contra a administração pública de Iporã.

Para a nossa homenageada, trabalhar como membro do Ministério Público exige muita dedicação e nos momentos difíceis, os membros não podem se deixar abalar. “Ao longo desses 15 anos percebi o quanto o nosso trabalho representa para a sociedade. No GAECO, foram vários e-mails de agradecimento a cada operação desenvolvida. Nós representamos esperança para muitos e isso é que deve nos fortalecer e nos dar coragem todos os dias”, afirmou.

Finalizou lembrando de seus filhos: “Além disso, meus dois pequenos tesouros, razões da minha vida, Ísis e Davi, por eles não há cansaço, não há desânimo, é uma aprendizagem diária e uma gratidão imensa a Deus”.

A Juliana por ela mesma

Determinada, mentalmente forte, solidária e temente a Deus.

Local

Rio do Sul/SC, onde nasci, e Cascavel/PR, onde cresci.

Hobbies

Ler e praticar esportes.

Frase

“Toda vez que presenciamos uma injustiça e não agimos, nós treinamos nosso caráter para ser passivo com o ocorrido e, assim, acabamos por perder toda a capacidade de nos defendermos e defendermos aqueles que amamos” - Julian Assange.

À Juliana Vanessa Stofela da Costa, promotora de Justiça vocacionada ao Ministério Público, nossos parabéns pela diligente atuação nos exercícios de suas funções ministeriais, em especial no combate à corrupção.

¹ http://g1.globo.com/fantastico/quadros/Cade-O-Dinheiro-Que-tava-Aqui/noticia/2015/08/prefeitura-de-cidade-do-pr-distribui-medicamentos-vencidos-doentes.html


Leia Também