Notícias

Mariana Seifert Bazzo fala sobre as opções da vítima de violência de gênero durante a pandemia

Promotora trabalha para alcançar as mulheres que precisam

30/03/2020 21:03


A associada Mariana Seifert Bazzo, Promotora de Justiça titular na 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Almirante Tamandaré, relatou que, neste período de pandemia do Covid-19, houve uma queda brusca no número de processos relacionados à violência de gênero, certamente por conta da subnotificação e não de uma real queda nos casos.

A associada, preocupada com essa realidade, criou uma página no Facebook - SOS Tamandaré - onde informa a população das ações que estão sendo tomadas pela justiça na luta contra a violência doméstica e também os canais pelos quais as denúncias podem ser feitas.

Mariana aponta a importância de comunicar e fortalecer a informação de que os serviços da força policial e judiciária continuam disponíveis mesmo em meio à pandemia, que estão adaptados para funcionar da melhor maneira possível para atender durante a quarentena.

Com esse objetivo de informar e levar a ajuda necessária a todas que precisarem, Bazzo integra voluntariamente o projeto Justiceiras, uma força-tarefa de apoio à mulher, que oferece orientação jurídica, médica, psicológica e mais serviços gratuitos e online.

No fim de março, a Promotora participou, por videoconferência, de entrevista no Bom Dia Paraná, da Rede Paranaense de Comunicação (RPC), onde explicou o projeto e a sua importância: mulheres de várias áreas de atuação se uniram nesse grupo “para dar orientações e acolhimento multidisciplinar para as vítimas que estão em casa e não têm exatamente com quem contar”. Também afirmou que esse é um canal de comunicação on-line “que foi incrementada com uma especial atenção nesse período muito peculiar”. Reforçando a importância de que as mulheres saibam das suas opções e tenham uma rede de apoio, Mariana complementou: “como a violência de gênero é muito diferente das outras violências, muitas vezes a mulher nem sabe, ela não tem consciência de que está em situação de violência. Ela tem uma dúvida, ela tem um sofrimento e aí ela precisa conversar com alguém”.

Ainda, no dia 11 de maio, a associada concedeu entrevista durante para oo Jornal Meio Dia Paraná, da RPC, relatando a atuação do Ministério Público frente aos casos de violência doméstica durante a pandemia e comentando dos resultados positivos do projeto Justiceiras. Assista aqui.

Projeto Justiceiras

Criado no fim de março pela Promotora de Justiça de São Paulo, Gabriela Manssur, o projeto Justiceiras reúne mais de 700 voluntárias, profissionais de diversas formações, que fornecem, gratuitamente e on-line, orientação e apoio emocional, médico, jurídico, socioassistencial, psicológico e de acolhimento às mulheres vítimas de violência de gênero. O contato com o grupo é por meio do número de WhatsApp: (11) 99639-1212.

RPC

Projeto Justiceiras



Leia Também